25 agosto 2006

Fala, Matilde - 1ª parte


Alta Sociedade, Fernando Botero
Na saída do consultório, tiveram consciência da inversão de hierarquia que a idade traz. Andréia, a neta, tentando ser pragmática, foi a primeira a falar:
- Mamãe, a vovó está velhinha... É natural que chegássemos a essa situação algum dia. Alzheimer não é a melhor forma de envelhecer, mas hoje em dia podemos conviver com a doença, além do que temos uma família grande e unida.
- Filha, mamãe está tão bem fisicamente, apesar da bengala. O que eu não esperava era que de um dia para o outro, tivesse que vê-la catatônica como está. Fico preocupada com a qualidade de vida que ela terá daqui para a frente.
- Já eu me preocupo mais com a sua saúde, mamãe. Você já está com 58 anos e terá que cuidar da vovó como se ela fosse uma criança. Graças a Deus, temos condições de contratar uma enfermeira e é o que faremos imediatamente.
- Darei todo o carinho que ela sempre me deu.
Vovó Matilde era uma octogenária, mas até o ano anterior aparentava excelente saúde. Depois de uma queda, teve que colocar uma prótese no joelho, mas isso havia acontecido há vinte e cinco anos atrás, quando ela tinha somente sessenta anos, e soube aproveitar muito bem a vida depois disso, viajando o mundo com o falecido por alguns anos e, depois da morte dele aos setenta e cinco, com seus filhos e netos. Porém, há alguns meses, começaram os primeiros sinais da doença, como esquecimentos, conversas desconexas e algumas atitudes que surpreenderam a família.
Hoje, depois do atendimento médico, andava apoiada no braço da filha, em silêncio, como se tivesse distraída. Para entrar no carro, sua neta apoiava a mão sobre sua cabeça e ela flexionava os joelhos, olhando para cima, como se não entendesse de onde vinha aquela pressão para baixo.

6 comentários:

ex-petista disse...

UMA NOVA HISTÓRIA? VOU ACOMPANHAR. UM ABRAÇO.

+ Kazzx + disse...

CAro Silvio,

Já estou por aqui...vamos ver o que Dona Matilde nos reserva....

Abçs

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Silvio:

Vim desejar-te um bom fim de semana,
Um abraço,

Clê disse...

Cheguei aqui a mando da Santa para comentar Palanques que está a Toca. Chego e já cá está Maltide. Essa família ainda me mata:))) Beijos.

Saramar disse...

Sílvio, outra vida, outra história, a mesma dor.
Lerei todos os dias.

beijos

Roy disse...

Sempre contigo, Silvio... ;-)