07 setembro 2006

Fala, Matilde - 5ª parte

Madre Superior, Fernando Botero

- O que eu mais gostava era de comer a prima Eulália!
Estavam justamente no quarto, Alzira, a filha que levara a mãe à consulta onde o Mal de Alzheimer havia sido diagnosticado, seu marido Norberto e o seu filho mais velho, Genivaldo Neto, que, embora fosse o candidato mais provável à herança política do deputado, era visivelmente efeminado, isso para não dizer que seu armário já tornara-se pequeno para seus instintos. Geninho, como a mãe o chamava, comoveu-se com a declaração da avó, chorou entre risos de cumplicidade e disse:
- Papai, mamãe, eu sou gay! - e abraçou-se emocionado na mãe e no pai, sob os olhos distantes da avó.
Dr. Norberto ficou estático perante aquela singela declaração e viu confirmar-se suas suspeitas tantas vezes sufocada. Dona Alzira, ao contrário, abraçou demoradamente o filho que finalmente assumira sua condição sexual, com a ajuda fortuita de uma vó catatônica. Durante aquele abraço de compreensão para eles e de perplexidade do pai, olharam para a avó demoradamente, até que a filha indagou:
- Mamãe?! A Tia Eulália não é a falecida Irmã Consolação?

5 comentários:

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Sílvio:

Um povo, enquanto nação, precisa de ter referências que o identifiquem e a data da sua Independência Nacional é uma delas.
Parabéns pelo Dia do Brasil.

Um abraço,

+ Kazzx + disse...

CAro Silvio,

Dona Matilde é uma enciclopedia, só não sabemos que página o vento vai abrir....mas vale a pena escuta-la

Abçs

José Alberto Mostardinha disse...

Viva:

Também é tempo para lhe desejar um óptimo fim de semana.

Um abraço,


Aguardo a tua visita

Roy Frenkiel disse...

hahahahaha Muito, muito boa essa serie, minha favorita ate agora!

abrax

RF

Dalila Flag disse...

Concordo c/ o Roy Frenkiel: essa série da Matilde é muito boa. Não sei se a melhor, mas é boa mesmo.