01 fevereiro 2007

Desce? - 5

Boccioni - cubismo


Sua frio. Depois de três meses desempregado, a ansiedade lhe fizera engordar dezessete quilos que se somaram à montanha que já carregava consigo. Saíra há pouco da entrevista para corretor de seguros e a simples olhada geral que a psicóloga lhe terminara com a esperança. Além do mais, as fartas refeições às custas do salário mísero de sua mulher, pesam agora em seu abdômen e não vê a hora de chegar a um banheiro. O elevador demora uma eternidade e chega quase cheio exatamente no momento em que solta o gás venenoso que envolve suas calças feito um balão explosivo. Movimentos mínimos talvez ajudassem a preservar consigo a nuvem tóxica. O que não contava era com a porta prendendo sua pasta cheia de currículuns, que lhe força a um puxão que evita que ela suba no movimento contrário do lento de descida. Sabe que a menina atrás de si está rindo, mas disfarça para movimentar-se menos. A senhora ao seu lado se benze na partida do andar, talvez pelo sacolejar bruto ou pelo aroma nada agradável que começa a evaporar de suas roupas. A mulher elegante ao telefone está distante em sua conversa, mas é bem possível que seja a primeira a inalar o desconfortante azedume que está prestes a ser descoberto. Quando as coisas já estavam mal, sua barriga volta a movimentar-se exigindo que vá logo fazer o que mais tem feito de produtivo nos últimos meses. O garoto de trás, provavelmente, será o último a perceber, já que está com seus fones de ouvido e não ouvirá a reclamação geral. Sua frio, em bicas. O elevador pára novamente e entram dois rapazes bem vestidos que levam uma pasta igual a sua, bem cheia. Um concorrente a uma vaga enxerga de longe seu adversário. Se achava que não poderia piorar, enganara-se. Pára novamente e a luz se apaga. De dentro de si o flato ousado não respeita a escuridão e deflagra o arraso final.

6 comentários:

Liz & Edson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Liz & Edson disse...

Ta loko!!!!
Por acaso esse rapaz tem descendencia Indiana??????
Sim, pq eu so reclamei dos arrotos no meu post, nao quiz acabar com eles...hahahahahhahaa
bjkas :)

Milene Maciel disse...

Olá !
Que texto bem escrito!
Gostei muito !
Tanto quanto os outros que li por aqui!

Parabéns!
=)

Beijos!*

lucordeiro disse...

Ai, Sílvio!!! Que horror! Coitado do cara. E, vc, hein? Nunca pensei que fosse postar um conto tão devastador... rsss. Mas, é isso mesmo, amigo, nem só de fantasias belas vive o escritor, mas de toda a desagradável situação que puder imaginar.
Beijos

Rosario Andrade disse...

Bom dia Silvio!
Mais um excelente conjunto de contos. Ja lhe disse, adoro esta sua maneira de ver as situações pelos olhos dos doferentes personagens. É uma maneira miuto humanda de ver o mundo, pensar que todos têm uma história, uma vida e não são apenas figurantes na história d ealguém.
Aguardo o final!

Bjicos

Pequena disse...

Adorei os textos !!