05 janeiro 2007

Amnésia virtual - 4

Imagem daqui

Lembraram-se muitos, que havia o risco de perderem suas fotos, ou por não imprimi-las ou por salvá-las em locais impróprios, ou até mesmo de imprimi-las em qualquer papel. O que não sabiam é que a fotografia verdadeira, não se transformava em bites e bytes. Além da memória que a retina guardara, não havia mais nada que pudesse trazer de volta a doçura congelada no tempo, o instante que o saudoso clique ocorria quando alguém sorrindo dizia: Olha o passarinho – figura lendária de um animal alado e orgânico que habitava o planeta na época em que havia árvores naturais ao invés de conversores eólicos de oxigênio.

3 comentários:

José Alberto Mostardinha disse...

Viva:

É consenso geral de que mulher séria é aquela de quem menos se fala.
O contrário também é verdade.
A não perder, no Estados Gerais, o video que sofreu a censura da justiça brasileira que, deste modo, colocou o país a ridículo na cena internacional no que á liberdade de informação diz respeito.
Urgente, antes que o boicotem... apesar de não ser nada de especial, bem pelo contrário.

Cumprimentos,

Saramar disse...

Você conseguiu contar o negro futuro em belas palavras.
Quando aprenderemos? Creio que so quando for muito tarde.

beijos

Clê disse...

Brilhante!!
Beijos