10 março 2006

Sonhos da Galinha Verde - V


Um dia, minha filha acordou-se assustada. Havia tido um pesadelo daqueles! Assustadoramente real. Porém, no final, eis que aparece uma galinha verde que lhe confirma tratar-se de uma ilusão.Quero sonhar com galinhas verdes! Terei o direito de ter todos os pesadelos e acordar-me sorrindo.

Presadelo V - Estou eu, em 2036, conversando com minha neta...

- Vovô, o que é isso nessa foto?
- É um pássaro!
- O que é isso, vovô?
- Uns seres com asas que existiam quando sua mãe era criança.
- Que estranho... Onde eles vivem?
- Não, eles não vivem mais, meu amor. Foram todos mortos.
- Mortos?
- Sim. Surgiu uma notícia que eles poderiam causar uma grave doença e foram sacrificados.
- Pobrezinhos... E era verdade?
- Nunca se soube, mas os donos do laboratório que faziam a vacina ficaram bilionários!
- Ah... E o que é isso na foto, onde esse pássaro está?
- Eram árvores!
- Árvores? Parecem bonitas... Onde existem árvores?
- Não existem mais...
- Por quê?
- Os pássaros levaram as sementes dessas plantas para outros lugares. Quando terminaram os pássaros, em poucos anos as árvores morreram, porque a cada árvore que morria, mais calor ficava e mais outras morriam. Sobraram muitos insetos, porque não havia pássaros para comê-los. Então eles comeram as flores que restavam. Depois até os insetos morreram.
- Ah... E essas coisas peludas que aparecem na foto?
- Eram animais de estimação.
- Animais? O que é isso?
- São seres parecidos conosco, só mais dóceis, menos brigões e sempre fiéis.
- Posso ter um?
- Não, minha querida. Eles foram todos mortos. Diziam que a gripe das aves poderia contaminá-los e em seguida eles poderiam nos contaminar.
- Mas todos esses animais eram de ter em casa?
- Não. Haviam outros nas florestas, mas com a morte das árvores eles também morreram.
- Vovô, parece que não adiantou esses homens fazerem a vacina.
- Só para eles terem mais dinheiro por um tempo, depois não tinham mais onde gastá-lo e acabaram morrendo de tristeza.
- Eu também estou triste, vovô.
- Todos estamos, querida. Vista agora sua roupa contra os raios ultravioleta, seu capacete com oxigênio, suas botas anti-radiação e vamos passear no deserto. Não esqueça de levar suas proteínas sintéticas para o lanche.


Eis que aparece a galinha verde mecânica e acordo chorando.

15 comentários:

greentea disse...

que sonho o teu...
Terrifico . Verdadeiro. Real.
Um beijo, para ti .

Moita disse...

Silvio

Isso tudo sem contar com a ajuda do MST.(post da Moita)

Mas um diálogo muito esclarecedor com a sua neta. Muito enbora 2036 ainda não tenha acontecido isso, porque a nutureza não dá saltos tão rápidos, Sua neta poderá muito bem ter esse diálogo com a neta dela, ou acordar com a galinha verde, tomara!

Parabéns pelo texto, excelente!

Dalila Flag disse...

Querido Sílvio,
Obrigada por seu comentário no meu blog. Sou um tanto irreverente, né não? rss. Qto ao seu "pesadelo", é real, está acontecendo já. O planeta não aguenta mais o brutal animal humano. Mas, sabe que vc tem razão qto à ganância dos laboratórios farmacêuticos que fazem de tudo p/ produzir vacinas e medicamentos contra doenças que nem sempre existem? Tenho conhecimento de sites sobre a "indústria" da AIDS: artigos escritos por cientistas sérios que denunciam o que é verdade e mentira nessa história que gera bilhões de dólares p/muita gente e interessa a governos e religiões. Um caso escabroso, maldito. Posso te mandar, por e-mail, os endereços p/ que vc leia. É de estarrecer.
Muito bom o seu relato, meu amigo. Infelizmente vc não está abreviando a gigantesca destruição do eco-sistema. Beijos carinhosos.

Angela Ursa disse...

Sílvio, esse seu último pesadelo da galinha verde foi de arrepiar mesmo. Nossa! Fiquei impressionada com as previsões, estilo Julio Vernes. Se os governantes de todo mundo tivessem esse pesadelo seria muito bom. Beijo da Ursa!

Caiê disse...

Quando o mundo for todo de plástico, espero já ter sido transformada em água condensada nas nuvens há muito tempo... ;)
Abraço.

+ Kazzx + disse...

Caro Silvio,

Muito bom, como sempre, um futuro sombrio e real...

Não consegui colar a música lá no blig, como agora vou para o blogspot, você poderia me dar uma dica de como posso tirar o icone lá do e-mail , não consigo acessar o código dele...sou meio lento desculpe-me...

Estou de partida do Blig, minha paciência esgotou depois de três dias sem conseguir acessar nada e ninguém...vou para o Blogspot, espero suas visitas por lá...

Abçs

Marcos
www.gotasfel.blogspot.com

+ Kazzx + disse...

Caro Silvio:

Hoje li com atenção seu conto da Galinha...grande sacada...fiquei triste também....tem um texto meu lá do blig ainda chamado "Profissional", se tiver tempo e paciência passa uma hora lá e leia acho que você vai gostar..

Abçs

Marcos

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Muito bom!

lena disse...

adoro os contos da galinha verde, queria que ela me fizesse sonhar, mas não quero acordar a chorar

beijinhos para ti, muitos

lena

Roy disse...

Mais um belo texto, Silvio!
Fico pensando...
Pena que eh so um sonho, sabe? Porque na realidade, nao perguntaria a barata junior a barata papai o que sao os seres humanos? E este nao responderia: Sao coisa que ja nao e mais... E onde tinha, papai? Tinha na Terra. E onde fica a Terra? Ja nao existe mais. Ah, pai, o senhor e um barato!

Abra'cao!

RF

edu disse...

Lindo texto. Fiquei deprimido.

Moita disse...

Silvio

Voce precisa sonhar com a galinha verde de novo e nos brindar com os sonhos.

Um abraço

Pétala_Ariany Rabello disse...

Explêndido! rs E falo do teor profético bem colocado. Vou continuar lendo rs

Hanah disse...

Maravilha !!!!!

em breve vou levar ela no meu blog....rsrsr

Rosario A. disse...

Bom dia, Silvio!
Mordaz, o seu texto! Como uma flexa apontada à verdadeira questão... o dinheiro! Com a desgraça de alguém ha sempre um grupo de pessoas que enriquecem, sem se importarem com a sorte dos outros e fomenando a desinformação e o pânico. A AIDS mata milhões por ano... e tanta pânico por uma pseudo-epidemia que até agora matou cerca de 60 pessoas, que lidavam directamente com a carne dos galináceos...

Bjico!