17 fevereiro 2006

Quantos somos?


Somos muitos, nunca fomos tantos.

A cada instante, uma boca a mais e o mesmo chão para retirar alimentos.
A cada instante, mais um par de pulmões para respirar esse ar que a cada segundo fica menos saudável, pesado, poluído.
A cada instante, uma criança a educar e o mesmo mundo a violentá-la, ofendê-la, maltratá-la.
A cada instante, uma esperança e poderosos gerando guerras para beneficiar a indústria bélica e suas contas bancárias.
A cada instante, um nascimento sadio para quatro em condições de risco.
A cada instante, mais um para lutar por espaço, trabalho, dignidade.
A cada instante, a igreja pragueja contra o controle de natalidade e retira dos miseráveis seu sustento.

Se a cada dia somos mais, mais temos que lutar pela igualdade de chances e pela tolerância às diferenças.

12 comentários:

Anônimo disse...

Hola Silvio, Zenia desde:

http://imaginados.blogia.com

A los centros de poder mundial les interesa un pepino la pobreza.
Necesitan las guerras para buscar petròleo y àreas de influencia.
Avaricia, avaricia... unos con tanto y otros con muy poco. Mala reparticiòn del Producto Interno Bruto, cada dìa màs bruto.

Marcos disse...

Caro Silvio,

Foi no ponto, talvez faltou dizer que nunca fomos tantos e nunca tão fomos tão indiferentes, parabéns mais um belo texto....

Abçs

Marcos
www.gotasdefel.blig.ig.com.br

Moita disse...

Silvio

Belissimo texto. Não há o que tirar e nem acrescentar.
Parabéns.
bom fim de semana.
abs

Lucimar Justino disse...

Sílvio,

bela reflexão. Sabe que já pensei nisso?!!! e fico imaginando o mundo daqui alguns anos se tudo continuar nessa velocidade... o belo será uma Matrix e o real será muito duro. É o homem se destruindo... Abraços!

lena disse...

um belo texto para refletir

tens sempre algo especial

beijinhos meus

lena

Dalila Flag disse...

Oi, Silvio!
Primeiro quero dizer que estou tão sem tempo com obraXmudança que não tive tempo pra separar, dentro de minha cabeça, o que é mania e o que é simplesmente hábito. Mas, vou lhe mandar minha listinha assim que meu juízo voltar ao normal.Ok? rss...
Qto a sermos mais um na nobre tentativa de viver, sem chance. Não mais se vive, apenas se sobrevive. Não há solo, água, ar, que suporte tanta gente. Não há sistema político que dê jeito. Não contamos mais com a seleção natural, que é sábia, porque o cientificismo invadiu a seara da natureza e resolveu recuperar o que deveria ser irrecuperável. Se propôs a remendar e clonar os seres, transferir pedaços de um para outro, numa arrogância teística. A engenharia genética está aí para não me deixar mentir. As academias de ciência são templos onde se discute uma maneira de bloquear tudo o que é natural. A morte é uma delas. Os doutores decretaram que estamos condenados à sobrevivência. E, como ratos numa gaiola superlotada, nos matamos violenta e mutuamente: tentativa desesperada por espaço.
Enquanto a famigerada religião continuar com o bordão "crecei e mutiplicai-vos" seremos pobres animais a lutar por um pedaço de pão. Só existe uma solução para o problema que vc levantou: controle da natalidade. OBRIGATÓRIO. Mas, desde que o Olimpo foi substituído por Javé, ou Jeová, sei lá que nome tenha, vive-se sob uma nova ótica: perversa, mentirosa, excludente, machista, e geradora de seres cabisbaixos e tementes.
No meu entender, ciência, religião e poder se deram as mãos e nós, o resto, somos simples joguetes de seus interesses e vaidades. Não existe saída. :-(

Santa disse...

Sílvio,

Que post!! Só uma pessoa com tamanha sensibilidade para ver o outro poderia nos dar este presente - agora nos cabe mais um instante de necessária reflexão.

Bjs

Caiê disse...

Sabes, preocupo-me muito com todos estes problemas que abordas aqui. Pessoalmente, não tenho filhos e não terei, a não ser que adopte. Respeito todas as opções, mas a inconsciência perturba-me. Ainda vejo muita gente pensar em bebés como um brinquedo, uma boneca grande...
Abraço forte!

Poeta da Noite disse...

TEM TODA A RAZÃO.
ACHO QUE NESTE MUNDO NÃO SE VIVE TENTAMOS SOBREVIVER.

Hannah disse...

Ya estoy de nuevo por aquí, hermano, y sí, tal parece que no hemos perdido esa conexión especial que siempre tuvimos.

Un abrazo fraterno

Hannah

Moita disse...

Silvio

E a cada hora aumentando mais bocas e boquinhas.
abs

Hanah disse...

Lindo texto....


Pelo
consumo consciente da
vida....



bjos


*****